Actualmente, existem vários tipos de atleta e estes cada vez mais se definem devido à diferente constituição e resistência do nosso corpo. Não somos todos iguais e não nos lesionamos todos da mesma maneira ou pelas mesma razões. Consequentemente, os tratamentos aplicados pelo fisioterapeuta ou pelo médico e a prevenção de cada um deles não serão os mesmos, dependendo da complexidade dos casos. Saiba tudo!

Os tipos de atleta dependem tanto da sua condição física como da sua exigência, suas necessidades ou capacidades. Vicente Úbeda, licenciado em Ciências da Actividade Física e Desporto, participou no passado dia 4 de Maio de 2017 no Congresso: O dia do Podólogo de Madrid 2017, organizado pelo Colégio Oficial de Podólogos da Comunidade de Madrid, propôs a criação de uma categorização dos tipos de atleta.

Tipos de atleta em consulta

“Tipos de atleta em consulta” era o nome da conferência dada por Vicente onde houve oportunidade para uma demonstração prática para salientar as suas afirmações. O autor estabelece um diagrama com uma série de parâmetros que definem o atleta de acordo com alguns valores: desportivos (experiência e carga), biomecânicos (peso e técnica), recursos económicos, tempo disponível e os apoios médicos que tem à sua disposição.

 

running atleta lesão

Análise de parâmetros de tipos de atleta no XXIV dia do Podólogo Madrid

Entre a elevada percentagem de atletas que procuram uma consulta, Vicente Úbeda propôs durante a sua conferência alguns tipos de atletas:

    1. Atleta ocasional (pratica exercício máximo duas vezes por semana). É um atleta que não compete e não conta com demasiado tempo para treinar. Conta com poucos recursos para investir no caso de necessitar recuperação e não é um pessoa que esteja correctamente acompanhada por um profissional.
    2. Atleta de ócio / saúde, participa em corridas mas, não corre para competir. É uma pessoas que corre vários dias e forma parte de algum clube ou grupo de running.
    3. Atleta amador competitivo, trata-se de um runner que treina para superar-se e conta com um grande compromisso na consecução de metas. Está especialmente motivado e normalmente conta com o apoio de um fisioterapeuta e de nutricionista. Está especialmente motivado. Compete em várias provas e em caso de lesão procura uma recuperação rápida mesmo que seja economicamente ou fisicamente dolorosa.
    4. Atleta elite, é o menos numeroso. Compete e nível profissional e, neste caso, a recuperação rápida é vital. Em algumas ocasiões os tempos de recuperação estão condicionados pela chegada a tempo a competições.

Visto que existem distintos tipos de atletas, nem o treino deveria ter o mesmo enfoque, nem o tratamento aplicado deverá ser o mesmo para todos.

A maioria das lesões em atletas de running acontecem por repetição dos exercícios. Assim que, a forma como se treina um atleta pode provocar ou pode prevenir lesões. O treinador joga tem constantemente um papel importante na criação e definição do plano de treinos de um atleta.

Quando uma lesão aparece e com ela as dores, devem ser tomadas uma série de decisões sobre a carga de treino que podem ir desde o descanso até à mudança de actividade ou intensidade. O exercício e o trabalho de fortalecimento proporciona uma maior resistência no tecidos, assim como os exercícios de alongamento e mobilidade.

EPTE® no Congresso de Podologia

EPTE congresso podologos madrid

EPTE® no Congresso de Podologia da Comunidade de Madrid

A EPTE® eletrólise percutânea terapêutica esteve presente no XXIV Dia do Podólogo, apresentando o seu aparelho com certificado sanitário EPTE®. A EPTE® eletrólise percutânea pode ser uma útil ferramenta no tratamento de várias estruturas (entre elas a fáscia plantar).

Fascite Plantar: o perigo de utilizar chinelos