tendão de Aquiles, situado na parte inferior da perna, é o tendão mais forte e grosso do organismo mas, também é o tendão que mais sofre. Se nos perguntamos quanto mede o tendão de Aquiles devemos considerar uma média de longitude de 15 centímetros e uma grossura de 5,2 centímetros. A largura é de aproximadamente 6,8 mm na parte alta, 1,8 mm na média e 3,4 mm na inserção.

Regra geral, o tendão de Aquiles dos homens é mais rígido e nos jovens é mais elástico e resistente. Este tendão é capaz de suportar 12 vezes o nosso peso corporal. 

Lesões no tendão de Aquiles

O tendão de Aquiles é, como já comentámos anteriormente, um tendão frágil e fácil de lesionar. Existem factores intrínsecos que explicam as lesões, como por exemplo a diferença de longitude dos membros inferiores, mas as lesões no tendão de Aquiles devem-se maioritariamente a factores extrínsecos, como a prática de desporto.

Uma lesão no tendão de Aquiles é dolorosa, com inflamação local e que provoca problemas de rendimento desportivo. Nos últimos anos existiu um aumento das roturas do tendão de Aquiles, mais em homens que em mulheres.

No mundo do desporto, os gestos que podem provocar mais rapidamente uma lesão são o início do sprint, com a flexão da planta do pé e o joelho estendido, pisar um buraco de maneira inesperada ou quedas de alturas.

Quando há uma lesão no tendão de Aquiles, o paciente manifesta uma dor aguda na própria zona do tendão, a ponta do dedo. O tendão costuma estar desabilitado e hipertrofiado. É super urgente curar uma tendinite no tendão de Aquiles a tempo para evitar o deterioramento tendinoso.

Em caso de lesão, normalmente, a zona danificada do tendão costuma ficar entre 2 a 6 centímetros da inserção.

Aplicação da eletrólise percutânea no tendão de Aquiles

Eletrólise Percutânea aplicada no tendão de Aquiles.

Uma solução rápida para as tendinopatias que está a dar que falar, tendo uma alta taxa de resultados positivos em pouco tempo é a EPTE® eletrólise percutânea terapêutica. De acordo com a experiência dos fisioterapeutas que aplicam esta técnica no tendão de Aquiles, esta ajuda a regenerar o tecido danificado pela lesão e com apenas uma séries de sessões de tratamento combinando a eletrólise percutânea com exercícios excêntricos, tal como os que se podem fazer utilizando o dispositivo EPTE® inertial concept. Tudo isto contribui para a recuperação do tendão de Aquiles.

A eletrólise percutânea reduz os custos sanitários e evita uma cirurgia dolorosa para o sistema sanitário e também para o paciente. A EPTE® eletrólise percutânea terapêutica é praticamente indolor devido à utilização de micro-correntes e existem já centenas de fisioterapeutas e profissionais sanitários os que apostam nesta técnica de fisioterapia invasiva para conseguir ótimos resultados em curtos espaços de tempo de recuperação do paciente.