Conhece quais são os sintomas de tendinite?  Antes de revelar tudo sobre as tendinites, é necessário abordar uma a temática das tendinopatias. O nome tendinite, tendo em conta o avanço das investigações científicas,  entrou em desuso ao não reflectir as mudanças histológicas que são produzidas pelo tecido tendinoso. Sempre é necessário consultar um especialista neste tipo de casos, já conhece os 5 motivos pelos quais deve procurar um fisioterapeuta? Em seguida poderá saber tudo o que necessita sobre os sintomas de tendinite e sobre outros aspectos relacionados com esta patologia.

Como identificar os sintomas de tendinite?

Uma das principais características de uma lesão localizada no tendão é a dor que esta provoca. A dor na zona onde se localiza o tendão é um dos primeiros sintomas de tendinite facilmente identificável pelo paciente. É uma dor que pode ser muito elevada e em alguns casos pode tornar-se incapacitante, tudo dependerá do estado evolutivo da lesão tendinosa e em grande maioria dos casos deve-se às cargas exercidas sobre a estrutura tendinosa.

As dores provocadas por uma tendinite aumentam gradualmente com o movimento e no caso de não serem acompanhadas por um profissional, como por exemplo o fisioterapeuta, podem transformar-se em patologias crónicas e, sendo assim, muito difíceis de tratar ao longo do tempo, podendo a infecção nunca desaparecer na totalidade.

Normalmente, os sintomas de tendinite são dores localizadas não afectando a outras zonas perto da área do tendão. No entanto, é recomendável sempre procurar um diagnóstico diferencial antes de realizar qualquer tipo de tratamento.

Quais são as principais causas de uma tendinite?

As lesões tendinosas, regra geral, aparecem por vários motivos mas, os que mais ressaltam e são mais ocorrentes são o excesso de movimento e peso sobre a estrutura tendinosa, seja a nível desportivo, laboral ou de origem sedentária. Uma postura inadequada e/ou repetida durante vários períodos de tempo são algo muito comum entre as doenças laborais e são algumas das causas para o aparecimento de uma tendinite.  Conheça quais são as tendinopatias incluídas nos doenças laborais.

Quais são as tendinopatias mais comuns?

Dentro do leque de tendinites mais recorrentes pode encontrar-se os seguintes tipos de tendinite:

  • Tendão Supra-espinhoso: provocar dor no ombro;
  • Tendão epicôndilo: afecta e provoca dor no cotovelo;
  • Tendão rotuliano: uma das dores e tendinites mais habituais em atletas provocando dores no joelho;
  • Tendão de Aquiles: provoca dores agudas no tendão de Aquiles.

Praticamente qualquer estrutura tendinosa é susceptível de sofrer este tipo de lesões, dependendo dos factores de risco individuais de cada indivíduo. Uma das partes indispensáveis para o tratamento de tendinites é a apreciação e trabalho do fisioterapeuta.

Como tratar uma tendinite?

Existem várias maneiras de tratar uma tendinite, independentemente da sua localização. Muitos terapeutas optam por utilizar terapias e técnicas manuais que ainda que em alguns casos são bastante úteis e tenham bons resultados, resultam num tratamento mais doloroso e tardio em alguns casos.

Existem várias ferramentas à disposição do fisioterapeuta para que este possa atacar de uma forma fiável e eficaz as tendinopatias. Muitos são os profissionais em Portugal que arriscam por técnicas de fisioterapia invasiva para o tratamento de tendinites e que obtêm bons resultados com os seus pacientes. Uma dessas técnicas de fisioterapia invasiva que combate os sintomas de tendinite e a própria tendinite de uma maneira rápida e eficaz é a eletrólise percutânea terapêutica.

Os terapeutas que utilizam a eletrólise percutânea como parte do tratamento já contaram as suas experiências e os resultados são surpreendentes, conheça a opinião do médico Pedro Prata sobre a aplicação da técnica EPTE® Eletrólise Percutânea. Segundo os estudos realizados, a eletrólise percutânea terapêutica favorece o processo fisiológico da recuperação tendinosa.

A técnica EPTE® permite enfocar o tratamento na zona correcta e através do apoio de ecográfico é possível localizar facilmente o foco da dor. A eletrólise percutânea é aplicada mediante a utilização de uma agulha de acupuntura e a aplicação de uma microcorrente que irá provocar uma infecção benigna no tecido tendinoso. Essa mesma infecção irá provocar a regeneração da zona afectada do tendão e, dependendo dos casos, com apenas 5/6 sessões a tendinite desaparece.

Saiba mais sobre as tendinopatias e como tratar tendinites:

AS Roma elege a Eletrólise Percutânea EPTE®